Close
Exit

Igrejas de todo o mundo irão comemorar Páscoa no próximo domingo, seguindo um calendário da igreja que os cristãos têm usado durante séculos. Muitos também podem fazer algo único para o Domingo de Ramos, Quinta-feira Santa e / ou Sexta-feira da Paixão. Deve-se dizer que a morte substitutiva de Jesus por nossos pecados e seu triunfo vitorioso sobre a sepultura deve ser o nosso foco não apenas em cada Páscoa, mas todas as semanas e todos os dias. Este é o Evangelho de Cristo, que é a nossa vida – o Evangelho do qual devemos continuar e nunca nos afastar, o Evangelho em que estamos, o Evangelho que nos fortalece, o Evangelho que nos foi confiado, o Evangelho que é de primeira importância (Colossenses 1:23; 1 Coríntios 15:1; Romanos 16:25; 1 Tessalonicenses 2:4; 2 Timóteo 1:8; 15:3). Não temos acesso a Deus além de Jesus Cristo (Hebreus 10:19-22). Nossa adoração só é aceitável a Deus por meio dele (1Pe 2:4-5). Além disso, as hostes do céu adoram o Cordeiro que foi morto para resgatar um povo para Deus, de “toda tribo e língua e povo e nação” (Apocalipse 5:9; 5:12; 13: 8). Como não podemos ensaiar, celebrar e responder ao glorioso Evangelho em nossa adoração?

E que melhor razão para nos encontrar do que adorar a Deus por sua bondade em enviar Jesus para nos salvar de nossos pecados? Que maravilhosa oportunidade de pregar de maneira clara, sucinta e amorosa a boa notícia de que Deus enviou um Salvador para nos libertar da pena e do poder de nossos pecados.

A ressurreição com o foco na cruz

Nunca irei me desculpar por encorajar os cristãos a viverem vidas centradas na cruz, ou líderes para liderar caminhos centrados no evangelho. A morte substitutiva de Cristo na cruz que nos reconciliou com Deus será sempre central para nossa fé.

Mas, enquanto somos chamados a glorificar-nos na cruz de Cristo (Gálatas 6:14), a morte de Cristo não deve estar isolada em nosso pensamento ou pregação.

E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.  E ainda mais: os que dormiram em Cristo pereceram.  Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens.

Ainda assim, Thomas Schreiner faz este comentário perspicaz:

O evento central no evangelho é a morte e ressurreição de Jesus. Essas duas ações estão intimamente ligadas (Romanos 4:25; 8:34; 1 Coríntios 15:3-5; 2 Coríntios 5:15; Filipenses 3:10; 1 Tessalonicenses 4:14), mas o peso reside no primeiro.

Assim como nos reunimos para observar a Semana Santa, culminando na celebração da Páscoa, ou Domingo da Ressurreição, não nos esqueçamos de lembrar às pessoas porque a morte que precedeu a ressurreição foi tão significativa – Jesus suportou plenamente a ira de Deus como nosso substituto, e já não precisamos temer a ira ou o castigo de Deus (Romanos 5:1-8).

Páscoa durante todo o ano

Tendo feito esse esclarecimento, a vitória triunfante do Salvador crucificado sobre a morte é algo que os cristãos devem celebrar todo o ano, não apenas na Páscoa. Nós adoramos um Salvador ressuscitado!

Porque nós tendemos a cantar uma alta porcentagem de canções sobre a ressurreição no Domingo de Páscoa, pensei em aproveitar a oportunidade para sugerir algumas canções que destacam a ressurreição, especialmente na perspectiva da cruz. Aqui estão elas:

Happy Day – Tim Hughes
His Name is Jesus – Judah Groveman
In Christ Alone – Adrienne Liesching, Geoff Moore & The Distance
Christ is Risen – Matt Maher
Because he lives – Matt Maher
Glorious – Paul Baloche
You alone can rescue – Matt Redman
I Will Rise – Chris Tomlin

———-
Bob Kauflin é o director de desenvolvimento de adoração para o ministério Sovereign Grace, uma família de 70+ igrejas dirigidos por C.J. Mahaney. Suas responsabilidades incluem equipar pastores e músicos na teologia e prática da adoração congregacional, e contribuir para os CDs deste ministério. Ele é o líder de adoração da Igreja Covenant Life, em Gaithersburg, MD, dirigida por Josh Harris.

Go top