Close
Exit

Talvez nenhum líder técnico enfrente mais desafios em qualquer domingo de manhã do que o Técnico de som. Com demandas de todos os lados, opiniões em abundância, uma orelha para o Pastor (a verdadeira tecnologia de som da cabeça), uma orelha para o líder / banda, e uma orelha para o Espírito Santo, este papel requer um santo, um técnico de som, E um servo – tudo embrulhado em um. Compilado de alguns dos técnicos de som mais hábeis e de grande coração que eu conheço, aqui estão 10 boas práticas para um técnico de som.

A adoração é um ambiente dinâmico no qual Deus está se encontrando com as pessoas, e as pessoas estão se encontrando com Deus. Por essa razão, o técnico de som deve ocupar seu lugar – com atenção ativa – entre os líderes da adoração influenciadores na sala. [Nota: Na era das mesas digitais, algumas coisas ficaram mais fáceis quando estes operam o som. Com o apertar de um botão, por exemplo, os níveis podem ser definidos. Se você estiver operando em uma mesa digital, alguns dos seguintes elementos técnicos podem não se aplicar.]

1. Opere os “Faders” (Ou, Nunca Ajuste E Esqueça)
O ambiente de adoração não é um ambiente estático, no qual se pode definir todos os níveis, em seguida, chutar para trás na cabine. É dinâmico, e operar os “faders”, bem como monitorar a congregação é uma necessidade para uma liderança eficaz e saudável. Imagine que você é o maestro de uma orquestra, e agora o piano é destacado e a desaparece, ou um doce violino solo agora levanta da música e é para se destacar. Conduza, operar os “faders”, e faça seu som trabalhar um ministério dinâmico. Você pode ajudar a banda a criar dinâmicas. Este versículo é verdadeiro sobre o som, e como ele reforça a mensagem sendo compartilhada: “… veio o Espírito Santo sobre todos os que ouviram a mensagem.” (Atos 10:44, NVI).

Uma liderança de excelência no som pode aumentar muito a audição eficaz da mensagem, cantada, falada, visualmente expressa, ou comunicadas de outra forma.

2. Tenha respeito pelo ganho
Você já foi com pressa para terminar a passagem de som e ignorou trabalhar direito todos os seus níveis de ganho? Pare. Antes que tudo corra, ajuste o ganho certo para cada microfone e conjunto de instrumentos. Um amigo meu diz: “Eu vi mudanças de ganhos entre o desligamento na noite de sábado e o início do culto no domingo, mesmo que nada tenha mudado no palco. Se você não trabalhar direito o ganho, você estará lutando com os níveis durante todo o culto. ”

Isso pode significar chegar cedo, e estar pronto para o ensaio ou quando a passagem de som começa. Nos apressar no último minuto nos faz perder coisas.

3. Sirva ao Pastor, ao Líder de música, aos Músicos e à Congregação

Não há outra maneira: Um Técnico de som deve ser um servo de todos, tendo habilidade técnica em uma mão, e um relacionamento real e vivo com Jesus na outra. Essa combinação cria técnicos de som que estão sempre se perguntando como eles podem servir melhor, em vez de líderes inseguros pressionando para obter a sua maneira porque as pessoas estão agindo como se eles soubessem melhor. Eu sempre disse à minha equipe de Som ao longo dos anos que o Pastor principal é, em última instância, o técnico de som principal e, em seguida, o líder de música principal (ou alguém que eles designaram para supervisioná-lo). Por quê? No final do dia, você e eu iremos para casa depois do “evento” – e o Pastor (ou líder da música em algum grau) terão de lidar com os efeitos da experiência – crescimento da igreja, encolhimento da igreja, conexão das pessoas ou falta de conexão com a igreja. Se o Pastor disser: “Por favor, abaixe” ou “por favor, aumente aquele instrumento”, ou “por favor, levante o volume e o nível de energia na sala”, encontre uma maneira de fazê-lo, em vez de resistir. É apenas uma boa honra – e mesmo se eles estiverem errados, isso vai voltar como uma bênção mais tarde.

Sirva os músicos quanto ao que eles precisam, e então sirva a dinâmica na congregação. Frequentemente os músicos necessitam de treinamento em diminuir o volume em seus monitores de modo que outros elementos estejam audíveis. Seja parte dessa formação. Você segura as rédeas na frente da casa; ofereça o seu melhor para ver a melhor ascensão na comunidade.

4. Deixe seu ego na porta
Aqui está a verdade. As pessoas vão olhar para você se alguma coisa está errada com o som. Sem dúvida alguma. É preciso um líder (no seu interior) forte para lidar com isso em uma comunidade. As misturas de dons tecnicamente orientadas, na minha experiência e na de muitos, podem levar a uma insegurança sutil entre eles. Quando desafiado, ou quando alguém pede para “por favor aumente isto,” ou “abaixe aquilo”, ou “me dê mais volume no monitor” (as coisas são mais difíceis quando ninguém está dizendo “por favor” ou “obrigado”), é fácil reagir com o ego. Coloque-a diante de Jesus enquanto caminha pelas portas da igreja todas as manhãs. Saiba que o Senhor está com você, e quanto mais como Jesus você for para o pastor, a banda, etc – mais você adoça a experiência de adoração que todos terão esse dia.

Na verdade, tente isso:Pergunte ao pastor e líder de música, depois de ter feito o som, “Como foi o som? Há alguma coisa que você gostaria que eu mudasse?” A primeira vez, eles vão desmaiar porque você perguntou. Na segundo, eles vão sentir uma porta aberta existente para a interação contínua. Isso é maravilhoso.

5. Caminhe pela Sala
Com iPads e outros aparelhos na ponta dos dedos (isso para mesas digitais), agora é mais fácil do que nunca para andar ao redor da sala, examinando o som de vários pontos de vista e fazer ajustes. Mas mesmo se você não estiver em uma mesa digital, certifique-se de que você está se movendo para ter uma ideia do que está acontecendo em diferentes lugares. O som pode mudar radicalmente de espaço para espaço, e recomendar a certas pessoas onde eles devem sentar não é uma coisa ruim.

6. Faça recomendações com a comunidade em mente
Isto vai com o ponto #4. Pesquisa, dê opiniões, e a seguir siga às decisões que os atores principais do ambiente da adoração (líder da música, pastor) devem fazer. Às vezes você pode querer o baterista fique em um aquário, por exemplo (e eles podem merecer isso!), para ter um controle mais completo do som. Mas pode haver outra prioridade para o líder da música, ou mesmo para o pastor, para que o baterista não seja cercado por causa da experiência visual, e as pessoas não vejam isso apenas como uma mera performance. Em suma, temos de viver com algumas coisas, e às vezes podemos descobrir que alguém estava certo. Isso não nos torna inadequados – apenas significa que às vezes há mais de uma abordagem para algo, e várias prioridades devem ser consideradas.

7. Seja Difícil de se Ofender / Fácil de se Trabalhar
Quando os líderes na mesma área de especialização estão trabalhando juntos, às vezes nós nos esforçamos para “provar algo”. Não há necessidade. Confie em Jesus, e se esforce para trabalhar com os outros. Seja uma pessoa difícil para se ofender. Seja fácil de se trabalhar. Apenas mantenha-se firme quando você se sente tão fortemente sobre algo que você classificaria um 8-10 na vida, ao invés de se ofender com algo que é na realidade um 2-3 em importância. Ter um “domínio” é importante para todos nós, mas devemos compartilhar, ceder e colaborar na vida do Corpo.

Ao trabalhar com músicos, às vezes eles precisam de algum treinamento, mas faça isso com uma postura humilde (mesmo se o músico não está agindo humilde). Ensine-lhes que pedir mais no monitor pode não ser a “vitória”, mas realmente ter menos de outra coisa. “Aumentar o volume” é a resposta natural para não ouvir algo (mas então você bate no limite com os botões). Ajude-os a obter o melhor mix para eles, pois eles devem responder bem aos monitores para liderar bem (IEMs corrigem esta parte, mas os músicos ainda precisam de treinamento para diminuir o volume para que outras coisas se destaquem).

8. Aprenda de todos; Ninguém Deixa de Aprender
Pergunte aos produtores locais, ou técnicos de som em locais que você respeita, se você pode sentar-se com eles enquanto eles operam o som. Se eles disserem que sim, ouça, aprenda e faça perguntas. Além disso, visite fóruns de pesquisa na internet, e procure dicas e truques de uma variedade de pessoas trabalhando com os mesmos problemas que você tem. Um amigo diz: “Estou continuamente aprendendo coisas novas sobre som, novos truques na minha mesa, novas maneiras de configurar os microfones ou o _____.” Seja um aluno ao longo da vida.

9. Obtenha ajuda se algo é desafiador – e leia o manual
Um amigo meu diz o seguinte: “Não se sinta inadequado se você (como eu) não for alguém que possa identificar uma frequência sonora ao ouvi-la. Eu tenho um ipad com um RTA, e quando estou lidando com problemas de microfonia, não tenho nenhum problema em usá-lo (e cantarolando a frequência da microfonia caso ela já tenha desaparecido). Você não tem que ser perfeito em tudo para ser um bom técnico de som, você só tem que ser bom em usar as ferramentas que você tem.”

E leia o manual. Leia o manual. Leia o manual (isso foi um reverb).

10. Faça da Mentoria uma prioridade
Orientação é algo absolutamente vital. Tenha sempre alguém que o acompanhe (ao seu lado ao fazê-lo, e converse sobre o que está fazendo). Especialmente com adolescentes ou com pessoas de vinte-e-pouco, porque estilos musicais e os gostos mudam ao longo do tempo. Você quer ouvidos que estão ouvindo mais do que você, através de uma lente auditiva diferente. Não os libere muito cedo; Você quer que eles tenham sucesso.

Depois que eles te acompanham por um longo tempo, você começa a acompanhá-loss. Aqui está o Ciclo da mentoria: 1) Eu faço isso, 2) Você me observa fazendo isso, 3) Eu te ensino a fazê-lo, 4) Eu vejo você fazer isso, 5) Você faz isso, 6) Você ensina aos outros.

Conclusão: Um bom técnico de som quer transparência

Um amigo meu produtor diz: “Um bom técnico de som abençoa a igreja assegurando que a comunicação da palavra (falada ou música) é clara e compreensível para todos. A qualidade do som durante uma reunião pode ser um fator importante na forma como as pessoas são capazes de se engajar nas atividades. Que bem faria se a melhor lista de músicas do mundo fosse tocada, ou a melhor pregação fosse dado, se o som é tão ruim que ninguém pode suportar ouvi-lo? Som ruim pode ser uma grande distração para aqueles envolvidos em um culto de adoração. No pior dos momentos, a qualidade do som pode até mesmo impedir a capacidade de entender e se engajar em tudo. No melhor dos casos, um bom som fornece uma oportunidade para que material claramente comunicado (música ou fala) seja recebido facilmente.

Quando o som é então transparente, e fora da mente, a “palavra” pode tornar-se o foco da atenção. Um técnico sadio prudente é a chave para alcançar este objetivo digno.” Amém.

———-
Dan Wilt é um autor, comunicador e uma voz inovadora nos campos da Adoração e das Artes. Dan atua como Diretor de Comunicações e Recursos da Vineyard USA.

Go top